17 novembro 2011

Como sou recebida pela minha casa!


A entrada  é o cartão de visita de uma casa e diz muito sobre ela!
Seja um hall, corredor ou sala, este espaço diz muito sobre uma casa e é nesta divisão que se formam as primeiras impressões das visitas. 

Cada habitação é única, com seus cheiros característicos...Nunca repararam nesse pormenor? Cada entrada de casa tem um cheiro próprio, inconfundível. Acho que até de olhos tapados eu reconheceria a minha!!

Eu gosto de ser bem recebida no meu lar doce lar! Vocês não gostam?

Meto a chave, rodo-a, empurro a porta...e...Que vejo eu?

Cor, muita cor (nem sempre foi assim, antes era branco e mais branco). Na onda das pinceladas de cor por toda a casa, chegou a vez da entrada. O marido mantinha o branco. A filhota mais velha sugeriu um azul dos azulejos. A mais nova queria verde alface. E eu usei todas!

Adoro este azul, que é de vários tons conforme a luz, ou ângulo de visão. Às vezes parece até lilás! Gosto!! 

Um tapete a dar as boas vindas (e muito pisado, coitado). A bicicleta do marido (estamos na terra das bicicletas, ora então!). E lá ao fundo, a sapateira e um tapete para tornar a troca da "vestimenta" dos pés um acto mais agradável (não é que todos adiram de bom agrado, mas lá vão aceitando...)!

E mais importante de tudo!!
As minhas meninas! Elas vêm receber-me sempre!

A entrada vista de dentro!


Um pormenor. Um quadro do tempo em que ainda não tinha internet...  :-)
Do tempo em que ocupava os tempos livres a fazer ponto de cruz (já pareço a senhora da publicidade...)

E vocês, como são recebidos pelas vossas casas?

07 novembro 2011

A um novo dia!





Pôs-se o Sol...Como já na sombra feia
do dia pouco a pouco a luz desmaia!
E a parda mão da Noite, antes que caia
de grossas nuvens todo o ar semeia!

Apenas já diviso a minha aldeia,
Já do cipreste não distingo a faia.
Tudo em silêncio está. Só lá na praia
se ouvem quebrar as ondas pela areia.

Com a mão na face, a vista ao céu levanto
e cheio de mortal melancolia,
nos tristes olhos mal sustento o pranto;


E se ainda algum alivio ter podia,
Era ver esta noite durar tanto,
Que nunca mais amanhecesse o dia!

Autor : João Xavier de Matos





Que assim não seja!

Que a noite dure o tempo necessário para nosso descanso e logo dê lugar a um dia claro e de Sol radiante!!


Uma boa noite a todos, nesta noite de Júpiter e hora de Saturno