11 fevereiro 2011

Yoga na mitologia...


Conta a lenda, que um pescador  de nome Matsyendra, certo dia ao apanhar um peixe enorme caiu e foi engolido por ele. 
Protegeu-o o seu bom karma, indo assim parar intacto e de boa saúde ao interior do enorme estômago do peixe.   

Por essa época estava Shiva a transmitir à sua divina esposa , Parvati, umas certas doutrinas secretas que até então não revelara a mais ninguém e para que não fosse ouvido, os ensinamentos eram feitos no seu esconderijo subaquático. 

Porém, muitos peixes foram atraídos para o local pela luminosidade que dali emanava e entre eles o tal peixe que engolira o pescador. Desta forma, este pode ouvir, sem que dessem por ele, as instruções secretas do deus. A certa altura a deusa adormeceu e quando Shiva perguntou: “Estás a ouvir?” um sonoro "Sim" ouviu-se de dentro da barriga do peixe. Surpreendido, Shiva fazendo uso do seu terceiro olho, conseguiu vê-lo.

Alegrou-se imenso com a descoberta e disse: - "Agora vejo quem é o meu verdadeiro discípulo!"

Matsyendra passou os 12 anos seguintes, ainda dentro da barriga do peixe, a praticar o que lhe tinha sido ensinado pelo grande Deus e findos os quais saiu de lá, já como um mestre. Matsyendra obteve o merecimento de ser iniciado pelo próprio Adinatha (Shiva) com o título de “natha” (senhor “do” si mesmo).


Noutra versão da lenda, Matsyendra era um peixe, e ao ouvir os ensinamentos de Shiva a Parvati, ficou tão deslumbrado que saltou para fora de água. Shiva ficou impressionado com a reacção do peixe e transformou-o em humano. Matsyendra tornou-se um grande sábio e mestre do Yoga e passou a transmitir os seus preciosos conhecimentos.

Matsyendra significa o senhor dos peixes!!

Esta lenda tem uma certa afinidade com a “história” da criação e evolução das espécies…
O peixe simboliza a forma de vida primordial no planeta , que foi evoluindo para outras formas, primeiro saindo da água, depois adaptando-se à vida terrestre , até que se transformou em homem. Este, o homem, por sua vez, através da prática do Yoga evolui até ao nível do iluminado.


Na tradição hindu, Shiva é o destruidor, que destrói para construir algo novo, motivo pelo qual muitos o chamam de "renovador" ou "transformador". As primeiras representações surgiram no período Neolítico, por volta de 4000 anos a.c., na forma de Pashupati, o "Senhor dos Animais". Yoga é uma prática que produz transformação física, mental e emocional, portanto, intimamente ligada à transformação, e por isso faz todo o sentido que a sua descoberta lhe seja atribuída.


A história do yoga perde-se no tempo, e a sua raiz vem do sânscrito (yuj) que significa unir, juntar.

Neste sentido o yoga aspira :
1-     
  • À união consigo mesmo
  • À união com os outros
  • À união com o absoluto

Esta é uma filosofia de vida que não serve apenas para manter a forma física, ou acalmar os nervos, mas é também uma forma de auto-conhecimento que pode levar o ser humano à sua plena realização.

Para liberar a energia, as técnicas do Yoga procuram uma desintoxicação do organismo através de:
  •  asanas (posições);
  • pranayama (exercícios respiratórios);
  • mantras (vocalizações);
  • bandhas (contrações de plexos e glândulas);
  •  mudras (gestos);
  • shavasana (relaxamento) 


Namasté!






2 comentários:

Fernanda disse...

Que lenda tão bonita, seja na 1ª ou 2ª versão!
Apesar do Yoga sempre me ter fascinado nunca pratiquei, um dia com certeza darei o passo.

Bom fim de semana, Rosa.
Beijinhos

Rosa Araújo disse...

Fernanda,

Faz muito bem em experimentar!

Com uma professora de yoga em casa, eu não tenho motivos para não praticar...Tb é verdade que às vezes ando na preguiça e não faço, mas sempre que vou, saio de lá a sentir-me muito bem. Não é só o lado físico que fica a ganhar, porque yoga não é apenas uma aula de ginástica. Pessoalmente, tenho melhorado muito a respiração. E depois, dá uma paz de espírito...

Bom fim de semana tb para si.
Bjs