06 fevereiro 2010

Para as minhas filhas...



Quis o destino que a minha vida fosse abençoada com duas princesinhas. Hoje, já mulheres/adolescentes, “senhoras dos seus narizes”, mas ainda assim, as minhas princesinhas…

Nada mais apropriado do que terem nomes mitológicos. Este meu interesse pelos mitos/lendas, não é de agora!
Não é que eu tenha alguma coisa contra os nomes das telenovelas (há uns anos, estava muito na moda, isto em Portugal, dar aos filhos os nomes das personagens das telenovelas brasileiras). Mas eu queria algo diferente! Queria nomes “especiais”, com história!

Ainda solteira e muito longe de pensar em ser mãe, já tinha o nome da minha primeira filha… DIANA. Não a Diana princesa, mas sim a Diana Deusa!

Diana, ou Artemis, era a deusa da Lua e da caça. Diz-se que era uma grande caçadora, mas também protectora dos animais. Gostei desta parte!
Corria livre pelos campos e florestas, dançando e cantando com as ninfas que a acompanhavam.
Irmã gémea de Apolo (a Lua e o Sol) e filha de Júpiter e Leto. Era um pouco solitária, é certo, mas mesmo assim uma personagem fascinante!
Já no seu tempo se poderia considerar uma feminista! :)) Era a deusa protectora das mulheres. Não teve marido (mas diz-se que teve uma grande paixão, e que num incidente provocado pelos ciúmes do irmão Apolo, acabou tirando-lhe a vida) Esta parte não gosto muito…mas fazer o quê?! Todas as personagens mitológicas têm o seu lado negro… Pelo menos transformou-o numa constelação! Órion.

Depois nasceu a segunda princesinha…e esta ganhou mesmo nome de princesa! HELENA de Tróia. A mulher mais bela do mundo!

Mais uma das filhas de Zeus. Foi casada com Menelau, rei de Esparta, mas devido ao feitiço de Afrodite acabou por se apaixonar por Páris e fugir com ele para Tróia (ou será que foi raptada? As versões são várias…).
Hera, Atena e Afrodite perguntaram ao príncipe troiano Páris qual a mais bela das três. Após cada uma das deusas ter tentado influenciar a sua decisão, Páris atribuiu a maçã de ouro a Afrodite, que lhe havia prometido o amor da mulher mais formosa do mundo.” E assim começou a guerra de 10 anos entre a Grécia e Tróia (é claro, que na realidade esta guerra se deveu a interesses económicos!).

E não é que a minha filhota é mesmo a Princesa de Tróia?
Por coincidência ou não, a rua onde moramos pertence ao bairro de Tróia. Isto eu só soube mais tarde…