29 agosto 2009

Poema a meu pai...


Hoje senti saudades de ti....pai...
Saudades de te ter, de te abraçar,
Hoje senti saudades de ti...
Saudades de te ver sorrir...
Saudades da tua face e teus olhos...
Hoje senti saudades de te olhar..
Saudades da tua voz...
Mas senti saudades de te ouvir falar,
Hoje senti saudades de ti...
De te ver a trabalhar,
De te ouvir rir, pena não te ver envelhecer...
Ver-te chegar a casa, era uma casa cheia...
Hoje olhei-me ao espelho, pensei em ti...
No verde dos meus olhos vi saudade,
Vi-te dentro do meu olhar, fiquei ali...
E fiquei nos meus olhos à-vontade...
Pedi então a deus para adormecer
Que pudesse ver-te, ainda que a sonhar
Não pude dormir, pai,
Não pude... que a saudade
Foi mais forte do que eu, pôs-me a chorar...

Tibéu ( do site Luso Poemas )
(peço desculpa ao autor por me ter apropriado das suas palavras...)

Não fui eu que escrevi, mas até que poderiam ser minhas estas palavras, porque descrevem na perfeição este meu momento...



Hoje o meu pai faria sessenta e nove anos...hoje não poderei dar-lhe aqueles perfumes ou camisas do costume ...nem fazer-lhe um almoço “especial”... nem ver o brilho dos seus olhos azuis no momento de se cantar os parabéns...
Hoje ele já não está entre nós.
Hoje a minha casa está mais vazia.
Hoje eu olho para o passado e penso nos momentos em que estivemos juntos. Penso nas pequenas coisas que fizemos. Nas simples palavras que dissemos. Penso no que poderia ter feito e não fiz... Mas, só me resta guardá-lo e às minhas memórias num cantinho do meu coração e seguir em frente, rumo ao futuro...

Quero acreditar que a vida não termina aqui. Que existe vida para lá da matéria.
Não acredito em meras coincidências. Acredito sim em sintonia...E os sinais, às vezes tão evidentes...(Sendo eu alguém que trabalha com “sinais”, nem poderia ser de outra forma...)

Quem sabe o meu pai virou uma bela constelação entre as constelações...

9 comentários:

tereza disse...

Lindo poema Rosa e sentida sua palavras.
E na sintonia amor-coração seu pai permanece em ti, como vc nele, assim acretido.
(amanha a noite tera selo paar ti no blog)
Abraço

Maria Izabel Viégas disse...

Amada Rosa, que lindo! O poema e a emoção que passaste. Com certeza amiga, é nestes momentos em que um dos nossos queridos vai para o outro lado da Vida, é que "sentimos" fortemente que não é possível que a vida se acabe aqui. Ele está na viagem...
fica em ti a Saudade e lá no Plano espiritual a Alegria de seu retorno. Falam e eu creio, que aqui choramos e lá... fazem uma Festa para o saudar!
beijos querida!
Linda homenagem ao seu Ancestral.

Andy disse...

Lindo o poema mas principalmente os sentimentos expressados...também preciso acreditar que a vida não acaba aqui.
Bjinho

Samsara disse...

Que bonito Rosa, o teu pai adorou o poema de certeza ;)

Beijinhos para ti

Rosa Araújo disse...

Tereza, Izabel, Andy e Samsara

Obrigada pelas bonitas palavras cheias de carinho que aqui me deixaram.

Quando aqueles de quem gostamos se vão, a nossa vida passa a ser um carrocel de emoções... e todos temos necessidade de nos agarrarmos a algo para superar e levar a nossa vida para a frente... Eu procuro ter pensamentos positivos...
Os últimos dias não foram muitos fáceis para mim, porque a data em questão veio avivar-me a memória e a dor da perda relativamente recente...
E o carinho recebido aqui no blog veio direitinho ao coração...
Obrigada amigas
bjs

ONG ALERTA disse...

Saudades vamos sentir sempre porque não aprendemos a lidar com a morte, somente quando ela vem que sentimos de verdade o que realmente é morrer, tudo muda, mas a morte também é apenas uma mudança basta aprender a sentir...

Emília disse...

Não tenho palavras...sinto uma saudade tão grande!

Anónimo disse...

Este poema está no meu blog e não no luso poemas, foi escrito por mim, está registado, porque escrevi um livro onde tambem saiu este poema, deveria ter referencia ao meu blog, para assim não haver problemas.


Tibéu

Rosa Araújo disse...

Tibéu,

É com todo o gosto que colocarei aqui o nome do seu blog, se me disser qual é... E peço desculpa se não o mencionei antes, mas como vê coloquei o seu nome e onde encontrei o poema, lindo por sinal e com o qual me identifiquei imenso naquele momento em que o encontrei na net...

Tem todo o direito em reclamar o que é seu por direito. E se há coisa que abomino, é injustiça...

Nos meus blog's, procuro ao máximo usar imagens e textos da minha autoria, mas quando recorro a "material" que não me pertence, tenho o cuidado de mencionar onde os encontrei ou o nome do autor se lá houver essa indicação...

Agradeço que me deixe aqui o nome do seu blog para que eu possa corrigir o meu erro.

Tudo de bom para si